Departamento de Comunicação

Nenhum treinador conquistou mais taças pelo Palmeiras do que Vanderlei Luxemburgo, o maior campeão do Maior Campeão do Brasil. Com o título do Campeonato Paulista vencido sobre o Corinthians neste sábado (8), no Allianz Parque, Luxa chegou a oito troféus pelo Verdão e isolou-se na liderança que dividia anteriormente com Oswaldo Brandão, sete vezes campeão. Em estaduais, o aproveitamento é impressionante: Vanderlei conduziu o clube aos cinco últimos títulos do total de 23 (1993, 1994, 1996, 2008 e 2020 – só não ganhou em 2009).

“Quando o Palmeiras me contratou, eu sabia da responsabilidade que eu tinha de voltar ao Palmeiras pelo passado e pelo presente. Sabíamos que tínhamos de conquistar, a primeira conquista foi a Florida Cup e agora o Paulista. As pessoas criaram uma desconfiança e tentamos quebrar isso. O Corinthians é um grande adversário, difícil de ser batido, mas que pode ser batido. Os números mostravam o nosso trabalho ao longo da competição”, afirmou Luxemburgo. “Foi uma conquista difícil, importante e que significa muito para a temporada ficar mais leve. Mas os jogadores precisam saber que não terminou, tem muita coisa para acontecer”, completou.

Completam a lista de seus principais títulos os Brasileiros de 1993 e 1994 e o Torneio Rio-São Paulo de 1993. Considerando também torneios de menor expressão, Luxemburgo tem agora 18 conquistas, que incluem cinco torneios amistosos (Copa Brasil-Itália 1994, na Itália; Torneio Lev Yashin 1994, na Rússia; Copa Euro América 1996, em Fortaleza-CE; Copa da China 1996, na China; e a mais recente, a Florida Cup 2020, nos Estados Unidos) e outros cinco troféus de jogos únicos (Taça Reggiana 1993, na Itália; Taça Nagoya 1994, no Japão; e as Taça Jihan, Taça Xangai e Taça Pequim, todas em 1996, na China).

Brandão, agora segundo colocado na lista de técnicos mais vencedores, faturou o Paulista quatro vezes pelo clube – em 1947 (vencendo o Santos na Vila), em 1959 (na melhor de três contra o Santos no Pacaembu), em 1972 (na última e decisiva rodada contra o São Paulo no Morumbi) e em 1974 (quando venceu o Derby no Morumbi e deixou o Corinthians mais um ano na fila, iniciada em 1954) –, além dos Brasileiros de 1969, 1972 e 1973.

A taça de 2020 também torna Luxa isoladamente o maior campeão paulista no geral de todos os clubes, com nove taças do torneio, já que também conquistou as edições de 1990 (Bragantino), 2001 (Corinthians), 2006 e 2007 (Santos). Por clubes de outros estados, são mais cinco títulos do tipo: Campeonato Capixaba de 1983 (pelo Rio Branco-ES); Campeonato Mineiro de 2003 e de 2010 (por Cruzeiro e Atlético Mineiro, respectivamente); Estadual do Rio de 2011 (pelo Flamengo); e Campeonato Pernambucano de 2017 (pelo Sport).

Luxemburgo tem nove títulos paulistas, sendo cinco deles pelo Palmeiras (Cesar Greco/Palmeiras)

 100% de aproveitamento em finais contra o Corinthians

Luxemburgo também mantém aproveitamento perfeito nas suas quatro finais disputadas contra o Corinthians. Além do Paulista 2020, o comandante alviverde superou o rival nas decisões do Paulista de 1993, do Torneio Rio-São Paulo de 1993 e do Brasileiro de 1994. No retrospecto geral comandando o Verdão contra o Alvinegro desde a sua estreia, em 1993, são 19 jogos, 7 vitórias, 8 empates e apenas 4 derrotas.

Recorde de título com menor número de partidas no século

O título do Paulista de 2020 foi conquistado na 20ª partida de Vanderlei Luxemburgo nesta quinta passagem pelo clube, superando, assim, o próprio recorde de título conquistado com o menor número de jogos desde o início de um trabalho nas últimas duas décadas – neste Século XXI, a marca já pertencia a Luxa, que em 2008 foi campeão paulista 27 partidas depois que assumiu o time no início daquela temporada.

Em uma breve retrospectiva dos títulos no Século XXI, depois do Paulista de 2008 com Luxa veio a Copa do Brasil de 2012 com Luiz Felipe Scolari. Felipão, por sua vez, precisou de 140 jogos até chegar à conquista (havia assumido o comando em 2010). Na sequência, vieram a Copa do Brasil de 2015 e os Brasileiros de 2016 e de 2018, sendo que o primeiro foi conquistado com Marcelo Oliveira em seu 39º jogo após assumir o Verdão; no segundo, Cuca levou o time ao seu nono título brasileiro em 50 jogos pelo clube; e no terceiro, novamente com Felipão, foram 29 duelos desde que ele retornara ao Alviverde, em julho de 2018.

Vale lembrar que Vanderlei Luxemburgo se sagrou campeão paulista pelo Palmeiras em 1993 com apenas 16 partidas no comando da equipe, pois havia assumido o cargo no decorrer do torneio estadual, dando sequência ao trabalho do técnico Octacílio Gonçalves.

Flávio Teixeira, o Murtosa, também conduziu o Verdão a uma conquista após poucos jogos no comando: a Copa dos Campeões de 2000, com apenas cinco partidas desde que assumira a equipe (embora ele já atuasse como auxiliar de Felipão desde 1997). Aquele foi o último título do Palmeiras no Século XX.

> Vice-líder em números de vitórias na história do Palmeiras

Durante a campanha do título estadual, na semifinal diante da Ponte Preta, Vanderlei Luxemburgo alcançou Luiz Felipe Scolari na segunda posição da lista de técnicos com mais vitórias na história do Palmeiras, ambos com 237, atrás apenas de Oswaldo Brandão, com 342.

Oswaldo Brandão: 342 vitórias
2º Vanderlei Luxemburgo e Luiz Felipe Scolari: 237 vitórias
Ventura Cambon: 158 vitórias
Rubens Minelli: 116 vitórias
Aymoré Moreira: 98 vitórias
Mário Travaglini: 97 vitórias
Filpo Nuñez: 92 vitórias
Amílcar Barbuy: 91 vitórias
10º Dudu: 74 vitórias

Técnico recordista de jogos e vitórias na casa alviverde

O retrospecto do treinador no Palestra Italia / Allianz Parque também é extremamente favorável: 152 jogos, 120 vitórias, 21 empates e apenas 11 derrotas. Na casa palmeirense, aliás, nenhum outro treinador dirigiu o time mais vezes que ele (o segundo colocado é Oswaldo Brandão, com 130) e nenhum outro venceu mais vezes (também o segundo colocado é Brandão, com 96).

A estreia de Luxemburgo no antigo Parque Antarctica foi em 20/04/1993, no triunfo por 1 a 0 sobre o Vitória, pela Copa do Brasil, gol de Maurílio. Já a última derrota aconteceu há 11 anos, em 18/04/2009:  foi para o Santos, pelo Campeonato Paulista, por 2 a 1, gol de Pierre. Desde então, são 15 jogos, com 11 vitórias e 4 empates.

No total, o Palmeiras tem dez finais disputadas em sua casa e três tiveram Luxa à frente do banco de reservas. Antes de 2020, o Verdão conquistou a edição de 2008 do Paulista com goleada por 5 a 0 sobre a Ponte Preta na final. Quase uma década antes, em 1996 (ano em que se sagrou campeão paulista garantindo o título do segundo turno com um triunfo sobre o Santos no Parque Antarctica por 2 a 0), o técnico levara o Palmeiras novamente a uma final em sua casa, na Copa do Brasil, que terminou em derrota por 2 a 1 para o Cruzeiro.

Retrospecto detalhado de Luxemburgo no Palestra Italia / Allianz Parque:

Primeira passagem, entre 1993 e 1994: 55 jogos, 44 vitórias, 9 empates e 2 derrotas
Segunda passagem, entre 1995 e 1996: 35 jogos, 30 vitórias, 2 empates e 3 derrotas
Terceira passagem, em 2002: 8 jogos, 7 vitórias e 1 empate
Quarta passagem, entre 2008 e 2009: 46 jogos, 33 vitórias, 7 empates e 6 derrotas
Quinta passagem, em 2020, já no moderno Allianz Parque: 8 jogos, 6 vitórias e 2 empates.

Luxa tem um retrospecto impressionante no estádio alviverde: 152 jogos e apenas 11 derrotas (Cesar Greco/Palmeiras)

> Ao todo, Vanderlei Luxemburgo soma 393 partidas à frente do Palmeiras, com 237 vitórias, 88 empates e 68 derrotas. São 784 gols marcados e 353 gols sofridos.

Primeira passagem, entre 1993 e 1994: 142 jogos, 88 vitórias, 32 empates, 22 derrotas, 271 gols marcados e 122 gols sofridos
Segunda passagem, entre 1995 e 1996: 90 jogos, 61 vitórias, 15 empates, 14 derrotas, 239 gols marcados e 72 gols sofridos
Terceira passagem, em 2002: 31 jogos, 17 vitórias, 9 empates, cinco derrotas, 64 gols marcados e 38 gols sofridos
Quarta passagem, entre 2008 e 2009: 110 jogos, 60 vitórias, 25 empates, 25 derrotas, 182 gols marcados e 112 gols sofridos
Quinta passagem, em 2020: 20 jogos, 11 vitórias, 7 empates, 2 derrotas, 28 gols marcados e 9 gols sofridos.

3º treinador com mais jogos: 393, atrás só de Luiz Felipe Scolari (484) e Oswaldo Brandão (586)
2º treinador com mais vitórias: 237, ao lado de Luiz Felipe Scolari e atrás apenas de Oswaldo Brandão (342)

Treinador com mais jogos no Palestra Italia/Allianz Parque: 152, seguido de Oswaldo Brandão (130)
Treinador com mais vitórias no Palestra Italia/Allianz Parque: 120, seguido de Oswaldo Brandão (96)

2º treinador com mais jogos em Libertadores: 22, atrás só de Luiz Felipe Scolari (43)
2º treinador com mais vitórias em Libertadores: 11, atrás só de Luiz Felipe Scolari (23)

2º treinador com mais jogos em Brasileiros: 132, atrás só de Luiz Felipe Scolari (203)
2º treinador com mais vitórias em Brasileiros: 76, atrás só de Luiz Felipe Scolari (85)

2º treinador com mais jogos em Paulistas: 134, atrás só de Oswaldo Brandão (250)
2º treinador com mais vitórias em Paulistas: 95, atrás só de Oswaldo Brandão (149)